Páginas

Um pouco do julho que não é mais nosso

 

O fim chegou, ao meu ver, cedo demais. Foram tantos e tão estúpidos que nem deviam ter chamado a atenção. Mas agora é de verdade, sinto que te perdi de vez. O fim chegou, ele não se escondeu. Ele mostrou que existe e sambou no meu coração. Riu da minha cara, enquanto as lágrimas jorravam do meu rosto.  Esse era o meu mês, e você o roubou no dia que me deu um beijo. Nunca mais foi só meu. Era nosso. Quem inventou o amor, faça o favor de me explicar?  Nunca pude dizer que você não valeu a pena. Valeu sim. As lágrimas foram menos que os sorrisos, e os consolos foram mais que os descasos.  Sua vida, entrelaçou na minha e fez o meu coração palpitar. Tem dúvidas do que sinto por você hoje ainda? 
 Por favor, fique com o julho que não é mais meu. Fique com o mês sete, fique com o mês que um dia já foi nosso... Julho foi o começo de tudo, e foi quando tudo terminou. Foi a letra maiúscula e o ponto final do nosso texto. Julho não é mais meu, julho é seu?
 Poderia ignorar todos os conselhos que me deram de seguir em frente e tentar ficar contigo mais uma vez, mas sei que meu coração não aguenta mais e precisa de um descanso. Deixe-me ir, deixe-me esquecer de você e lembrar apenas do que um dia chamei de nós. Deixe-me e deixe-se ver o nosso julho como apenas julho, e nosso dia apenas como mais um dia. Vamos deixar só as lembranças nos abraçar por enquanto, mas por favor, deixe meu coração respirar. Preciso esquecer de mim e principalmente de nós agora, preciso levar a vida e seguir em frente, conhecer outros caras e me arrepender de te deixar ir. Preciso voltar a te enxergar como te enxergava a dois anos atrás, com certa admiração, com uma certa leveza e com um toque de carinho. 
 Quero esquecer os últimos meses e ver só o hoje e amanhã. Vamos esquecer que julho é julho e vê-lo apenas como um mês qualquer. É isso que eu quero, é disso que eu preciso.

0 Opiniões:

Postar um comentário

Curtiu?

 

© Cantinho do Blog. Todos os direitos reservados.Imagens: Valfré