Páginas

Hoje somos nós

  "Já era tempo!" 

Foi tudo o que ouvimos dos nossos amigos mais íntimos e de nós mesmos só:

 "Enfim, aconteceu mesmo?"




 Já era fato todo o interesse que tínhamos um pelo outro e isso ficou ainda mais evidente depois daquele beijo. Ah! Aquele beijo no escurinho do cinema, entre risos e vontade de saber mais sobre alguém que já conhecíamos tanto.

 Tirou as mechas do meu cabelo do meu rosto, algumas vezes enquanto se aproximava para me beijar mais uma vez. Ainda sinto o gosto do seu beijo e o amargo da saudade vem junto quando estamos separados.

 Parece estranho falar isso, mas depois desse primeiro troque dos nossos lábios, percebi como é bom ter uma paixão ao primeiro beijo. Irônico, talvez. Alguém como eu falar assim, de um sentimento que sempre disse repugnar. Paixão com gosto de melhor amizade e primeiro reencontro, quem nunca? Foi tudo questão de segundos, aqueles primeiros segundos em que nossos lábios se encontraram a primeira vez.

 Sempre disse a eu mesma que ia encontrar um amor não perecível, daqueles que não tenha data de validade, e que se intensifique desde sua fabricação. Aqueles amores que faz com que me sinta como se fosse a primeira vez, todas as vezes, que façam os olhos brilharem, que façam sorrisos nascerem no rosto só por lembrar daquele alguém que não conseguimos esquecer. Vejo agora em você um pouco de cada conto de fadas, um pouco de cada texto romântico, um pouco de cada livro do Nicholas e um tanto enorme de mim. Vejo em você aquilo que talvez eu tenha perdido em mim, todos aqueles suspiros apaixonados, aqueles sonhos que sonho acordada em que preciso que chamem meu nome, gritem ou me belisquem para despertar. Você talvez seja aquele príncipe encantado que eu nunca acreditei existir, aquelas mensagens de madrugada que quase nunca recebi, aquelas ligações de horas que não me enjoam e aquela vontade de estar junto 24h por dia. 

 O sentimento vem rápido e eficaz assim, se intensifica e se transforma. O sentimento está em tudo, no horizonte que vejo pela janela do ônibus, no banco da praça, na tela do cinema, na sapatilha preta que usei quando eu te vi, no all star bege que não sai da minha mente. O sentimento está aqui, bem dentro de mim. Está comigo na hora que vou deitar e quando estou ouvindo música. É diário, rotineiro, constante. O sentimento é culpa sua e o seu sorriso é meu. Dois eu's se transformando em nós, hoje somos nós.

 Gosto da nossa cumplicidade, da nossa amizade, do nosso carinho e da preocupação que temos um com o outro. Simples, é que eu te quero bem e para mim. Então façamos o seguinte, brincamos de "pra sempre" e você vem até mim. O que você acha? Já está no meu portão? 

0 Opiniões:

Postar um comentário

Curtiu?

 

© Cantinho do Blog. Todos os direitos reservados.Imagens: Valfré